BRASIL EM BUSCA DO TOPO

Joaquim Leite, Ministro do Meio Ambiente, afirma que o país pode se tornar uma potência no mercado de carbono

Diante de um potencial cada vez maior de lucros com créditos de carbono, o ministro do Meio Ambiente, Joaquim Leite, explicou durante entrevista ao Brasil em Pauta, da EBC (Empresa Brasil de Comunicação), como o Brasil está se preparando para atrair os olhos de outros países nesse comercial. Para Joaquim, o Brasil tem diferenciais que o colocam à frente de outros países quando o assunto é o mercado de carbono. A principal qualidade brasileira, segundo o ministro, é a diversidade de produtos a serem comercializados, que vão desde créditos de vegetação nativa, de energia renovável, de redução de emissões de aterros sanitários, especialmente do metano, até atividades de agricultura e indústria de baixo carbono. Ao explicar o mercado de carbono, Leite deu o exemplo de como uma granja de aves e suínos poderá contribuir para a redução de emissões de gases de efeito estufa, ao mesmo tempo que economiza na sua linha de produção. O metano produzido pelos resíduos dos animais, que iria para a atmosfera, pode ser purificado e se transformar em um combustível limpo. Assim, é possível substituir óleo diesel por biometano em tratores e veículos pesados.

Veja mais aqui.