Artigo

Choque térmico na superação da dormência de diásporos de Tectona grandis L. f.

O objetivo deste trabalho foi testar tratamentos pré-germinativos para superar dormência de diásporos de Tectona grandis L. f.O experimento foi conduzido no Laboratório de Sementes e no viveiro da UFT – Campus de Gurupi. A coleta dos diásporos foi realizada em seis árvores matrizes presentes no sistema agroflorestal. Os tratamentos testados foram: (T1) diásporos intactos; (T2) aquecimento dos diásporos em estufa a 80 C° por 12 h, sem imersão em água; (T3) aquecimento dos diásporos em estufa a 80 C° por 12 h, seguido de imersão em água por 6 h; (T4) aquecimento dos diásporos em estufa a 80 C° por 12 h, seguido de imersão em água por 8 h; (T5) aquecimento dos diásporos em estufa a 80 C° por 12 h, seguido de imersão em água por 10 h; (T6) embebição por 16 h dos diásporos à noite e aquecimento ao sol por 8h durante o dia, seguido de embebição no final por 24 h; (T7) embebição por 16 h dos diásporos à noite e aquecimento ao sol por 8 h, por três dias, e embebição no final por 24h. Foi avaliada a emergência de plântulas, índice de velocidade de emergência, comprimento e biomassa. As médias foram submetidas à análise de variância e comparadas pelo teste de Tukey a 5% de probabilidade. Conclui-se que o tratamento (T2) proporcionou os melhores resultados de porcentagem e índice de velocidade de emergência, mas ainda proporcionou baixos valores, necessitando novos estudos com essa espécie.

Introdução

Dentre os mais variados sistemas de produção o setor florestal sempre teve recursos para a confecção de objetos e materiais de consumo, importantes para o ser humano, como: material para construção civil, indústria moveleira, indústria naval, siderurgia, papel e celulose e produtos não madeireiros, tais como óleos essenciais, frutos, taninos dentre outros [1]. O setor florestal sempre busca novas alternativas de renda como a domesticação de novas espécies que tendem a ter alto valor econômico agregado. Mesmo tendo como característica ciclos de cultivo longos, ornando esta atividade um investimento a longo prazo, podem gerar grandes lucros aos investidores, e para isto necessita-se de espécies que apresentem madeira de qualidade. Neste contexto os produtores de madeiras vêm pesquisando e observando diversas espécies de alto valor comercial para desenvolver seus plantios,Tectona grandis L. f é uma das espécies que vem se destacando em diversas regiões do mundo. Tectona grandisL. f., popularmente conhecida por teca, é uma espécie florestal originária das florestas tropicais de monção do sudeste da Ásia (Índia, Myanmar, Tailândia e Laos) que foi introduzida na região norte do Brasil em 1994 para cumprir a reposição florestal obrigatória em atendimento à legislação ambiental [2].

 

Gostou da matéria? Continue lendo assinando a revista Referência Florestal aqui.

Post anterior

Cartas de Dezembro

Próximo post

Consulta pública sobre a permetrina

admin

admin

A Referência Florestal é uma publicação mensal destinada exclusivamente aos usuários de produtos florestais para as mais diversas áreas. Atuamos há 18 anos buscando tecnologias, produtos e serviços para atender ao setor.

Sem comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *