Um estudo de viabilidade desenvolvido pela empresa de capital privado New Forests, na Austrália busca transformar restos de madeira em combustível renovável através de uma usina de pelletização negra. A ideia é construir a usina no município de Tamar Valley, na Tasmânia. Calculado em cinco milhões de dólares, o investimento feito para a realização do estudo busca encontrar uma oportunidade de utilizar os pellets de biomassa na alimentação das caldeiras das indústrias, podendo assim substituir o uso do carvão, combustível fóssil.
Os pellets produzidos na cor preta serão capazes de entrar nas usinas de energia existentes sem precisar fazer qualquer modificação. A ideia inicial dos empresários é importar o produto para o Japão, onde existem várias usinas de energia. Se o estudo for aprovado, a News Forest irá fornecer o plantio florestal 100% certificado de fibra longa para abastecer a usina de pellet.

Gostou da matéria? Continue lendo assinando a revista Referência Florestal aqui.

Post anterior

Fungos são componentes importantes na comunicação das árvores

Próximo post

Consumo de pellets da UE aumenta 7,8%

admin

admin

A Referência Florestal é uma publicação mensal destinada exclusivamente aos usuários de produtos florestais para as mais diversas áreas. Atuamos há 18 anos buscando tecnologias, produtos e serviços para atender ao setor.

Sem comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *